EuroTrip 2015 – Londres-Lisboa

Antes de relatar nossos últimos dias nessa viagem, vamos mencionar alguns fatos interessantes que vivenciamos em Londres.

1) Sobre o frio: Recomendamos que tenham cuidado ao visitar Londres e outras cidades europeias nessa época de inverno. É muito importante proteger o corpo com boas roupas de frio, como já falamos (Sugiro que vejam o post de Paris e principalmente este do meu colega Ronaldo Giusti, muito bem detalhado). Falo pela experiência que tive nessa viagem. Moro em Fortaleza, uma cidade quente, mas sempre gostei muito de frio, só que nunca passei um frio parecido com o que senti nessa viagem. Mesmo gostando de frio, desde que me entendo por gente minha mãe sempre falou o quanto eu não poderia facilitar, pois quando criança tive crise de asma e hoje sofro de rinite alérgica. No início da viagem me protegi bastante com gorro, cachecol e luvas, mas como todo bom filho teimoso, houve um momento da viagem em que eu já me sentia muito pretenciosamente um “nativo”, andando sem a proteção devida mesmo com aquele vento frio que parecia lâmina entrando pelas narinas e detonando o meu rosto. Resultado: no penúltimo dia em Londres acordei com febre, expelindo até sangue pelo meu nariz congestionado. Mas, na base da superação, não podia deixar de aproveitar os últimos momentos em Londres. Concluindo: não façam o que fiz. Protejam-se devidamente do clima, ainda mais quando é algo que você não está acostumado, como foi o meu caso.

2) Sobre atendimento ao cliente: Próximo à Piccadilly Circus, existe um bairro chinês. Após uma boa caminhada, a gente deu uma paradinha num pub que fica nessa região. Pode parecer corriqueiro pra quem vive em alguma cidade que costume ser sempre bem atendido, o que não é o meu caso, por isso nunca esqueci do que presenciei naquele bar.

Ao chegar percebi que só tinha um rapaz trabalhando pra atender pelo menos 20 clientes. Esse cara atendia, enchia os copos, servia os snacks, lavava a louça e ainda recebia os pagamentos, sempre de forma rápida e eficiente. Até que chegou um rapaz que aparentava ser de origem mais humilde, sentou próximo ao balcão e pediu uma cerveja. Ao pagar, ele retirou várias moedas do bolso, devia ter ali dezenas de moedas de centavos. O garçom, sem esboçar nenhuma irritação, apenas contou rapidamente as moedas e entregou a cerveja do cara. Era pra ser óbvio que esse rapaz que juntou um saco de moedas pra tomar uma bebida de 5 libras tem o mesmo direito de ser bem atendido do que um ricaço que chegue pagando com o seu American Express Extreme Infinite. Num mundo ideal em que a gente fosse bem atendido as coisas seriam assim, mas na prática é bem diferente. Outra coisa que me impressiona é que sempre que pagamos algo com fração de 99 centavos, nós sempre recebemos o troco de 1 centavo. Não tem esse negócio de pagar troco com bala ice kiss não…

3) A Batalha de Gatwick – O dia que quase perdemos o nosso vôo: Já seguindo a sequência dos posts da nossa viagem, passamos por momentos de tensão ao viajar de Londres para Lisboa, como contaremos a seguir.

1/2 [11º dia]:
Acordamos na hora certinha pra pegar um taxi para a estação London Bridge e de lá pegar um trem para o aeroporto de Gatwick, que ficava a mais de 45km de distancia. Quando chegamos na estação fomos informados que as linhas do nosso trecho estavam em manutenção, e não dava + tempo de ir pra Victoria Station do outro lado da cidade pra pegar outro trem. Então, pelo tempo que a gente tinha só havia uma saída: Ir de taxi, pagando em libras, uma distância dessas…

Foi um dos momentos mais tensos de todas as viagens que já fiz…rs. Quase 1 hora de taxi. À medida que chegávamos próximo ao aeroporto eu observava o taximetro e fazia a contagem do dinheiro que a gente tinha. Ao chegar no aeroporto, em cima da hora de embarcar, vimos que a corrida deu £108. Eu já tinha concluído a contagem de todas as notas e moedas que nós 3 tinhamos e a conta deu £102. O coroa taxista percebeu o nosso desespero e não questionou as 6 libras que faltavam, pois sabia que era só o que a gente tinha, mas quando eu entreguei o dinheiro e ele viu a imensa quantidade de moedas (22 libras em moedas, sendo várias de centavos), ele soltou um “OH MY GOD”. Graças a Deus, deu tempo. Chegamos no balcão às 9:52, faltando apenas 3 minutos pra fechar o portão de embarque. Os funcionários do aeroporto fizeram a gente furar a fila pra agilizar quando viram a nossa situação. Na hora foi tenso, mas hoje é muito divertido relembrar aqueles momentos.

O vôo pra Lisboa decolou 10:25 e chegou às 12:50 (2:25 de viagem). Um taxi do aeroporto para nosso loft em Alfama custou €11. Um fato estranho que ocorreu e achamos interessante alertar é que o taxista cobrou uma estranha taxa de bagagem, que acabou fazendo a nossa corrida custar €17. Não sei se isso é alguma norma em Portugal, ou se fomos ludibriados…

Ficamos hospedados em Alfama, neste AirBnb. O acesso é um pouco cansativo por não ter elevador, precisamos subir três lances de escadas. É uma construção antiga, mas bem conservada, e de longe a melhor relação custo-benefício da viagem, até porque e situada em Lisboa. Um espaço enorme por um preço incrível e um ótimo atendimento, fomos recebidos e orientados pelos anfitriões.

Almoçamos no Corkscrew Wine Bar. Fomos muito bem atendidos, pedimos um bacalhau que estava delicioso. Foram 2 bacalhaus (€12 cada) e 2 ice tea (€1,5 cada). Descemos pela rua dos remédios (que por sinal me lembra muito a minha cidade natal, Salvador) e lá embaixo pegamos um taxi para o mosteiro dos Jerônimos. Vimos a fila enorme que se forma para comprar o famoso pastel de Belém, mas não pegamos pois iria demorar muito. Vimos o Mosteiro dos Jerônimos, passamos pela praça e depois fomos ao Padrão dos Descobrimentos (uma das vistas mais bonitas da nossa viagem, o por-do-sol do rio Tejo). Na volta, compramos souvenirs e pães, sucos e sopas na Padaria Portuguesa por apenas €15. Tanto na ida como na volta o taxi custou apenas €8,5. Portugal é bem mais barato que a maioria das grandes cidades turísticas da Europa.

2/2 [12º dia]:

Nosso último dia de viagem na Europa. Ficamos somente esses 2 dias incompletos em Lisboa, algo que não recomendamos, ainda mais com tanta coisa boa pra se conhecer nesta cidade e em outras cidades de Portugal.  Pegamos um taxi para o aeroporto. Chegando, fizemos uma refeição leve no Heineken Bar: 8 peças de sushi saíram por €12,50. Então pegamos o vôo de volta para a nossa terra e assim terminou mais uma Eurotrip, e mais uma vez  tudo correu bem, graças a Deus.

Ultimo dia em Londres - Mais Fish'n Chips
Ultimo dia em Londres – Mais Fish’n Chips
Padrão dos Descobrimentos
Padrão dos Descobrimentos
Padrão dos Descobrimentos
Padrão dos Descobrimentos
Praça do Império
Praça do Império
Vista do Rio Tejo
Vista do Rio Tejo
Mosteiro dos Jerônimos
Mosteiro dos Jerônimos