EuroTrip 2016 – Roteiro Cinque Terre

Na Riviera Italiana, decidimos conhecer a região de Cinque Terre, composta por 5 cidades históricas da região da Ligúria, consideradas patrimônio histórico pela UNESCO.

De Santorini a Milão chegamos via Easyjet, no início da tarde. Alugamos um Fiat Panda para os 5 dias na Itália e França. É o que recomendamos pois assim você pode passear (e pode parar onde preferir) pelas duas Rivieras, partindo de Gênova (Itália) até Saint-Tropez (França) se desejar, o que dá 330km de percurso, passando por cidades famosas como San Remo, Cannes, Mônaco, etc. O aluguel custou cerca de 220 (sem GPS e Wi-fi móvel) pelos 5 dias. Como éramos 4 pessoas, ficou 55/cada.

Ficamos hospedados em La Spezia, ponto estratégico para conhecer Cinque Terre. Saindo de Mião são cerca de 225km, ótimas estradas, belas paisagens, pedágios variados (lembrar de considerar nos custos além do combustível). Além disso, nas estradas italianas podemos contar sempre com a rede AutoGrill pra fazer uma boa refeição.

Para se hospedar, recomendamos o Affittacamere Golfo Della Luna. 160 por 2 diárias, + imposto municipal de 1,50/dia-pessoa = total: 166. Tudo muito novo e confortável. Fomos muito bem recebidos pelo dono, o Riccardo, que nos deu várias dicas. Incrivelmente prestativo, ajudou até o nosso amigo Marconas a entrar em contato com o seu hotel pois ninguém atendia. Jantamos um ótimo spaghetti com frutos do mar nesse dia no Da Sandro dei Fratelli D’Angelo, bem próximo de onde estávamos.

Chegamos em La Spezia em um momento complicado. Havia uma greve dos ferroviários marcada para o dia seguinte e por isso nada garantia que a gente conseguisse ir de trem para Cinque Terre no dia seguinte, por isso analisamos as outras opções. Dependendo da época, mesmo com horário marcado, os barcos não podem sair para algumas das terre se o mar estiver muito agitado, por isso é bom sempre ter um plano B.

A opção que nos restou foi ir no nosso carro alugado, na base da aventura, subindo e descendo montanhas. As estradas são boas, mas algumas delas são tão estreitas que só passa um carro por vez, conforme o Riccardo nos informou. Mas se você dirige bem, dá pra tirar de letra.

Tiramos um dia completo para conhecer as Cinque Terre. O que chamou muito a nossa atenção foram as vinhas plantadas nas colinas e as marcas ainda existentes nas cidades de uma tempestade de 400 mm de chuva ocorrida em 2011, que soterrou parte das cidades de lama e pedras. Esteja preparado para subir e descer algumas ladeiras à pé mesmo pois há trechos onde não se permite a entrada de carros. Pode ser cansativo mas vai valer a pena, pois são muitas paisagens bonitas.
Paisagem - Manarola ao fundo
Paisagem – Monterosso ao fundo
cinque-terre-map
Mapa de Cinque Terre
Monterosso: foi por onde começamos. Cerca de 33km saindo de La Spezia. Como há vários trechos montanhosos dá cerca de 50 minutos de percurso. Vale conhecer a Igreja de São João Batista, construída em 1244. Aqui já dá pra ter uma ideia da culinária da região, foi onde comemos um dos melhores lanches da viagem: o cone de frutos do mar, acompanhado de limão siciliano:
cone_frutosdomar
cone_frutosdomar
Monterrosso
Monterrosso
Vernazza: Chegar aqui foi bem mais complicado, pois foi lá que pegamos estradas bem estreitas onde só dava pra passar 1 carro por vez e nem todas tinham mureta. As estradas são boas, mas a atenção deve ser redobrada por conta dessas condições. Recomendamos almoçar no Baia Saracena Pizzeria.
vernazza_estrada
Estradas estreitas de Vernazza nas alturas. Nesse ponto só passava 1 carro por vez e ainda tinha uma curva bem fechada logo depois…
Vernazza
Vernazza
Corniglia: não deu tempo da gente passar lá, pois pretendíamos passar mais tempo nas 2 terre seguintes.
Manarola: a melhor estrada de acesso às terre. O ponto turístico mais característico é a Via dell’Amore, estradinha histórica construída na colina em 1900, interligando Manarola a Riomaggiore. Ela estava interditada já fazia um bom tempo quando estivemos lá. Ainda assim vale a pena conhecer.
Via dell'Amore
Via dell’Amore
Riomaggiore: Optamos por essa ordem para finalizar o dia curtindo o por do sol nesta bela cidade no La Conchiglia. Recomendamos um bom vinho (pedimos um Colli de Luni tinto) e uma sofioli: Comemos uma deliciosa à base de cream cheese, cebola roxa e salmão.
Por do sol em RioMaggiore
Por do sol em RioMaggiore
Por do sol em RioMaggiore
Por do sol em RioMaggiore
RioMaggiore
RioMaggiore
Ainda tem uma terre “extra”: Portovenere. Não chegamos a conhecer. Fica a dica pra quem tiver mais tempo. Vale a pena também conhecer Portofino, por ser bem próximo a essa região.