EuroTrip 2009 – A Maratona de HVAR – Dias 15 a 18

Nos nossos roteiros da Marconas Turismo, os translados por vezes eram bem cansativos, mas esse em particular superou todos os outros de longe.

IDA => Roma -> Ancona [Trem]; depois: Ancona -> Split [Navio]; e por fim: Split -> Hvar [Navio].

[DIA 15] 20/05 – ROMA – ANCONA – SPLIT

Acordamos às 9 para pegar o trem em direção a Ancona. Praticamente atravessamos de uma costa à outra num trajeto de aproximadamente 300km. Pegamos o trem às 11:30 e chegamos por volta das 16:00. Ao chegar, pegamos um taxi até o porto, onde fomos “almoçar” e pegamos nossas passagens para o ferry-boat das 21:00.  Num momento de reflexão, entendemos o que seria globalização: 4 brasileiros (2 cearenses, 1 gaúcho e 1 baiano) escutando Bezerra da Silva tomando cervejas holandesas (Heineken) em um restaurante italiano, em Ancona, esperando a hora do ferry-boat que partiria rumo a Split, na Croácia.

Pegamos o navio, que partiu próximo das 21:00, num belo por-do-sol. Tinha um certo receio de que ele balançasse muito e que eu ficasse enjoado (sofri muito com enjôo quando eu era criança ao viajar), mas foi bem melhor do que eu imaginava. Continuamos tomando umas cervejas Beck no navio, curtindo um som e jantamos um sanduíche. O local da dormida era tão apertado que batizamos carinhosamente de caixão, mas dormimos bem, as camas até que eram boas. Ruim foi ter que acordar bem cedo com o barulho do navio chegando e já sair direto pra pegar outro barco pra Hvar. Chegamos às 6:45.

A moeda da Croácia é a Kuna. 1 euro equivalia na época a 7,15 kunas.

Gastos nesse dia => hotel €95, trem €15, hotel €32, banho-lanches €25, taxi €6, almoço €13,  passagens de ferry-boat 507 kunas = €71 , cervejas €8, cervas + sanduiche €5 || TOTAL: €270

[DIA 16] 21/05 – SPLIT – HVAR

O barco já estava atracando no porto quando fomos tomar o café da manhã, por isso tivemos que comer bem rapidamente. Providenciamos a troca de euro por kuna e eu saquei algumas pois não tinha mais nenhum euro em cash. Trocando dinheiro e compensando as dividas de empréstimo que o pessoal tinha comigo, a galera já estava me chamando de agiota. Providenciamos já a passagem de ônibus pra o translado pra Trieste, pra quando a gente fosse voltar no sábado.

Mariano em pleno início de manhã me chega com 2 cervejas Ozujsko pra gente tomar, não pudemos recusar e o acompanhamos na primeira cerveja croata. Chegamos em Stari Grad e pegamos um taxi cujo motorista era bem invocado, o cara tinha umas tranças na barba, parecia mais um viking, mas aparentava ser um cara muito gente boa pelo atendimento que nos prestou. Deu altas dicas pra gente enquanto apreciávamos a bela paisagem das praias na chegada ao hotel.

O hotel Amfora é espetacular. Sem dúvidas, o melhor hotel no qual já me hospedei em toda a minha vida. 4 estrelas muito bem merecidas, já que não sei o que é um 5 estrelas. As paisagens de Hvar são lindas, o mar Adriático, as ilhas, a cidadezinha, tudo. Agora vejo por que já foi considerada uma das 10 ilhas mais bonitas do mundo. Tentamos dormir mais cedo pra aproveitar melhor o dia seguinte.

Gastos nesse dia => K280 passagem onibus, K63 taxi, K28 batata c/ suco, K192 almoço, K15 picolé || TOTAL: 578 kunas = 81 euros

[DIA 17] 22/05 – HVAR

Acordamos às 8:15 pra aproveitar o café da manhã e ir bem sustentado pra o passeio de escuna nas ilhas de Hvar. Conhecemos várias ilhas e a escuna ainda parou pra gente tomar banho de mar próximo a uma das ilhas numa profundidade de 4 a 5 metros. Este passeio de escuna pra mim foi um dos momentos mais legais da viagem (se iniciou às 11:00 e terminou às 17:30.) e eu recomendo pra quem for pra Hvar. Em uma das ilhas mais legais, pedimos um tira-gosto de polvo muito bom e conhecemos mais uma cerveja croata, a Karlovacka. Ainda mais no nosso caso, que viemos do nordeste do Brasil e não esperaríamos ver uma praia tão bacana como a que conhecemos lá. Geralmente se faz uma ideia da Europa como um local que é muito frio e sem boas praias. A maior diferença que senti foi a temperatura da água: muito gelada se comparado com as das praias que temos aqui no Nordeste.  Pra completar, uma grande coincidência: ao chegar na última ilha do nosso passeio, andamos um pouco até chegar num barzinho isolado numa das ilhas e ao sentar na mesa encontramos um casal de paulistas!

Dentre as opções na noite de Hvar, o Carpe Diem foi o barzinho que nos recomendaram. O som é bacana, toca muita música eletrônica e a atmosfera é bem envolvente. É caro, mas não paga pra entrar. Chegamos meia-noite e ainda não estava muito cheio, a galera só foi chegando mais tarde por lá. Descansamos um pouco e fomos pra lá, só que bem tarde, chegamos umas 12 da noite mas não estava tão agitado assim. Acho que era a época. Pra variar vimos mais alguns brasileiros, assim como em Ibiza. Conhecemos uma galera da Argentina também.

Outro comentário que posso fazer pra quem for pra Europa é que o Leste Europeu via de regra é sempre mais barato que o restante do continente, sem contar que as próprias pessoas parecem ser mais amigáveis e solícitas (principalmente se você comparar com os italianos…). Sei que isso vai muito de sorte, você pode ser bem atendido em qualquer país do mundo e encontrar pessoas bacanas, mas pelo feedback que tenho dos meus amigos que também viajaram pra lá, essa é a impressão que tivemos. Ou seja, se no seu cronograma você precisar gastar menos e conhecer gente mais bacana, considere o Leste Europeu na sua viagem.

Por fim, eu certamente gostaria de voltar um dia pra Hvar, pois gostei muito dessa cidade. Espero poder ir mais uma vez pra lá um dia com a minha noiva e futura esposa, só que dessa vez num esquema menos cansativo hehe

Gastos nesse dia => K200 barco + almoço, K70 cerveja, K50 cerveja, K50 balada || TOTAL: 370 kunas = 52 euros

VOLTA => Hvar -> Split [Navio]; depois Split -> Trieste [Ônibus “falcão”]

[DIA 18] 23/05 – HVAR – SPLIT – RUMO A TRIESTE

Tomamos café quase em cima da hora de retirarem a comida (10:30) e voltamos pro quarto pra relaxar um pouco e fazer o check-out às 12:00. Deixamos as malas pra providenciar um canto pra almoçar e comprar a passagem de barco pra voltar pra Split. Partimos às 17:30.

Ao chegar em Split fizemos uma jantinha num restaurante próximo e pegamos o ônibus pra Trieste às 21:00. O ônibus era muito ruim. Parece que a suspensão da roda traseira esquerda estava estourada, exatamente no local que eu estava sentado. Balançava mais que um barco. Depois que vi que já estava ficando tonto, mudei de lugar e resolvi pedir na parada seguinte ao motorista pra pegar uns Dramin B6 (característico remédio que eu tomava para evitar os enjoos nas viagens na minha infância) que eu trazia na minha bagagem. O motorista, um italiano, com toda a sua “gentileza” intrínseca, nos atendeu aos gritos e prováveis insultos e a única palavra que consegui detectar foi Rijeka (acho que ele gritava reclamando porque não havíamos pedido pra pegar o comprimido na parada anterior, em Rijeka, já que ele não teria que abrir o bagageiro mais uma vez). Deus abençoe os italianos…

Gastos nesse dia => K1550 hotel(CC), K20 água+ligações, K40 passagem navio, K80 almoço, K72 taxi, K80 janta, K15 bagagem || TOTAL: 1860 kunas = 265 euros