EuroTrip 2015 – Londres

28/1 [7º dia]:

Acordamos bem cedo para pegar o taxi pro aeroporto. Pela primeira vez voamos de British Airways. Nosso vôo saiu do aeroporto Schiphol de Amsterdã às 10:55 e  chegou 11:00 em Gatwick, Londres (1:05 de vôo). Não sei se é por conta desta época em Londres, mas ventava muito, foi a turbulência mais forte que pegamos. Eu sou um cara muito fraco pra qualquer tipo de balanço, fiquei com uma ânsia de vômito forte até o momento da aterrissagem. Quando achei que o avião ia aterrissar, ele precisou arremeter, ou seja, mais 20 minutos de sofrimento pelo menos até a tentativa seguinte. Aí, meu amigo, eu vomitei todo o meu café da manhã e iniciei a sequência de pelo menos uns 5 passageiros que seguiram juntos comigo…rs

Londres é uma das cidades mais importantes da Europa, por isso, tem muitos aeroportos. Além de Gatwick, tem Heathrow, Stansted e Luton, todos bem distantes do centro da cidade, pelo menos uns 40km. Só depois vi que ainda tem o aeroporto da cidade de Londres, mais próximo, mas que nunca surgia nas buscas que fizemos pelo SkyScanner. O site Londres para Principiantes nos ajudou bastante ao explicar as diversas formas de pegar transporte a partir do aeroporto, neste link.

Ao chegar pegamos o trem da ThamesLink (£9,4) para a London Bridge Station, a estação mais próxima do nosso loft (cerca de 3km). Ainda no aeroporto, peguei uma sopinha de tomate muito gostosa pra me recuperar e pegamos um taxi, que custou apenas £11, era uma quarta-feira. Os taxis de Londres são uma atração à parte. São padronizados de forma que você tem sempre 5 cadeiras para sentar e a comunicação com o motorista é feita por meio de um sistema de som. É importante prestar atenção ao dia e horário que você pega o taxi, pois pode acabar saindo bem mais caro do que o esperado a partir da noite. Este link explica muito bem como funciona o sistema de tarifas. É claro que quanto mais colegas pra dividir a conta no taxi, melhor, até porque o metrô de Londres é caríssimo, custa £4,80. Em outras cidades europeias, o metrô custa na faixa de €1,50.

Londres é uma cidade cara e com a desvalorização cambial do nosso país atualmente então… Na época que viajamos compramos 1 libra por R$4,45. No momento que escrevo esse post ela já custa R$6,50. Por isso nesse post vou tentar dar uma maior atenção aos valores que gastamos na cidade pra dar uma melhor ideia a você do quanto deve levar. Para quem vive lá os preços são justos, mas quando você converte pra real às vezes é bom saber que um chopp de £5 está te custando mais de R$30, hoje (mesmo sabendo que quem converte não se diverte…rs).

Londres foi a cidade em que ficamos mais tempo na viagem, 4 dias. Ficamos hospedados na região de Shoreditch em mais um AirBnb, a poucos passos de Brick Lane, uma área mais alternativa, com ótimas opções de baladas e restaurantes. Olhando o mapa de Londres dá pra perceber como a cidade é enorme, e quanto mais próximo do centro, mais caro até no caso do AirBnb, por isso escolhemos essa região pra ficar. Esse loft tinha todo um procedimento de retirada de chaves que você tem que prestar muita atenção para não se confundir. Na minha opinião, de todos os AirBnb que ficamos este foi o que ficou mais devendo, mas ainda assim valeu a pena.

Saímos para almoçar no tradicional Fish and Chips do Poppies. Muito boa a comida e um estabelecimento bem tradicional na cidade. Peixes com fritas (Fish´n chips) é uma comida muito popular em Londres, inclusive as pessoas costumavam comer até em jornais. No caso do Poppies, comemos sentados nas mesas em pratos e fomos muito bem atendidos. Pagamos £3,90 por 2 cocas 330ml, £25 por 2 fish’n chips, que servem bem 3 pessoas.

Após a nossa merecida refeição, já era tardezinha, fomos andando até a London Bridge e a Tower of London, que fica bem próxima. Marcamos com nossos colegas Marconas e Melissa, mas por um pequeno problema de comunicação não conseguimos encontrar eles na hora certa. Existe uma novidade bem recente que é o passeio panorâmico por uma passarela sobre a London Bridge, que proporciona uma vista muito bacana da cidade, como bem explicado neste link. Nossos amigos fizeram este passeio e nós demos uma voltinha pelas redondezas. Numa mercearia próxima a London Bridge compramos pão, croissant, iogurte e salame por £6,50 para o café da manhã. Pagamos £6,90 por cada teriyaki de salmão ao jantar no Japanika.

29/1 [8º dia]:

Pela manhã, marcamos o ponto de encontro com nossos amigos no mercado de Spitalfields, a cerca de 800 metros do nosso loft. Descemos pela Commercial Street e pegamos o taxi (£13,80) para a London Eye. O passeio na London Eye está custando £21,50, valor que considero caro, mas ainda assim recomendo. É uma enorme roda-gigante, com cápsulas que comportam várias pessoas, onde você tem uma das visões mais bonitas da cidade. Você recebe um mapa que ajuda na identificação dos prédios e pontos turísticos da cidade vistos lá de cima.

Andamos até a Abadia de Westminster, passando por alguns dos pontos turísticos mais característicos da cidade, tais como a ponte de Westminster, o Big Ben, que na verdade é o nome do sino instalado na torre do relógio do Palácio de Westminster. Então decidimos almoçar no Westminster Arms, um pub/restaurante a poucos metros da abadia. A comida era muito boa: sopas, massas e hamburguers. Deu pra repor as energias e continuar a caminhada pegando uma chuvinha londrina característica passeando pelo St James Park, um parque bacana, onde você vai ver muitas aves e esquilos, que não se importam com a presença das pessoas, ficam bem próximos da gente. Até que chegamos no Palácio de Buckingham, onde chegamos a ver uma troca de guarda. Foi uma caminhada boa, cerca de 2,5km.

Pegamos um taxi para o Museu Britânico, um enorme museu que abriga milhões de peças de todas as partes do mundo, e o melhor, é gratuito. Passamos aproximadamente 2 horas no museu e chegamos a ver alguns dos seus maiores destaques: a Pedra de Roseta e os frisos do Partenon de Atenas. Impossível ver tudo, mas eu ainda queria muito ver as armaduras e espadas dos samurais na área japonesa, só que já estava fechando na hora que fomos pra lá.

Saindo do museu, seguimos pela Great Russel, Bloosmbury e depois uma boa caminhada pela Shaftesburry até a famosa Piccadilly Circus e seus letreiros luminosos, a praça onde cruzam alguma das ruas mais importantes de Londres. No caminho, fizemos um pit-stop no St James Tavern, um tradicional pub de Londres. Tem muitas lojas bacanas nessa região, passamos por algumas, mas decidimos procurar mais um pub pra encerrar a noite e optamos pelo Waxy O’Connor’s. Recomendamos muito, pois o pub é enorme e tem um dos melhores tiragostos que já comemos, não deixe de pedir o “The Lot”. Tem de tudo no tiragosto, por isso o nome: lula, frango, pão, ovo, costela, vários molhos e tinha mais coisa ainda que não lembro agora, serviu pra gente quase como um jantar. Como já era tarde da noite, pegamos um taxi pra voltar pro loft, que por conta do horário a tarifa 3. mais cara: £23.

Caminhada do Museu Britânico até Piccadilly Circus (cerca de 1,5km):

Fizemos as compras de fim de noite no Tesco: cerveja Hobgoblin (uma pale ale marrom, que eu particularmente não gostei, nem consegui beber toda): £1,24, sushi misto £3,50, agua Evian: £0,87, smoothie (suco engarrafado): £1,04 => total= £6,65. No Tesco você mesmo passa as suas mercadorias e faz o pagamento, não tem caixa, basta passar o produto no ponto certo pra fazer a leitura do código de barras. Além disso, após passar no código de barras coloque o produto na “bagging area”.

 

30/1 [9º dia]:

Mais uma vez marcamos de sair juntos do mercado Spitalfields, pra tentar pegar ônibus na Brushfield Street, mais precisamente a linha 344, só que não deu certo, pois só na hora vimos que precisávamos do cartão (Oyster Card), eles não aceitam pagamento em dinheiro. Então fomos de taxi mesmo visitar o Shakespeare’s Globe, a reconstrução do histórico teatro de Shakespeare. Como a Líllian é formada em letras, ela nos deu essa dica que valeu muito a pena. Mesmo pra quem não tem muito conhecimento da obra de Shakespeare nós recomendamos pois a visita guiada nos faz sentir como se estivéssemos vivendo naquela época.

Atravessamos a Millenium Bridge rumo a Catedral de São Paulo. Esta catedral cobra pela visita (algo raro pelo menos por onde passamos) mas justificam a cobrança explicando que com essa verba a igreja é mantida. Almoçamos bem perto de lá, no Itsu (Eat beautiful), um restaurante especializado em comidas mais saudáveis.

Pegamos um taxi pra iniciar a sessão de compras na característica Primark da Tottenham Court Road, uma loja enorme. Comprei 3 camisas sociais muito boas por apenas £20, que uso até hoje pra trabalhar. Saimos de lá para passar de novo na Piccadilly Circus, desta vez, na Lillywhites, onde fizemos mais algumas compras. Peguei 2 blusas da Nike por £10 cada.

31/1 [10º dia]:

Fomos na Primark pra trocar algumas roupas das meninas que não ficaram boas e depois tomamos um chá e um chocolate quente pra esquentar um pouco, pois chovia e fazia um friozinho característico. Seguindo mais uma ótima dica da Líllian, fomos de taxi (£10) para a Baker Street 221, a casa do Sherlock Holmes. Tinha uma fila enorme pra o passeio guiado, então fomos somente na área livre do museu. Almoçamos num restaurante italiano vizinho, o Francesca, onde comemos massas: 1 spagheti carbonara, outro bolonhesa e 1 chá gelado por £15,70. De lá pegamos nosso primeiro metrô em Londres na estação Baker Street para a Fulham Broadway.

Passamos pelo sofisticado bairro de Fulham, mas nossa ideia para este dia, foi conhecer o Stamford Bridge, estádio do Chelsea, em um dia de jogo importantíssimo contra o Manchester City (naquele momento o Chelsea era o líder e o Manchester City era o vice da liga inglesa). Como sou louco por futebol e acompanho bastante o futebol internacional, gostaria muito de assistir o jogo. Não foi possível assistir, mas ainda peguei um boné de recordação na loja do Chelsea por £8. Pra não estender mais ainda esse post, vou deixar pra detalhar melhor essa experiência em um post futuro do meu blog pessoal. Ao sair pegamos um taxi de Fulham para o nosso loft, que saiu bem pesado: £32, mas também pudera, saímos do lado oeste para o lado leste da cidade. Chegando no loft, fizemos nossa última refeição da noite com algumas compras no Tesco e um fish’n chips no Poppies.

O tradicional fish'n chips
O tradicional fish’n chips
Mercado Spitalfields
Mercado Spitalfields
Tower Bridge
Tower Bridge
Proximo à London Eye
Proximo à London Eye
Esquilos no St James Park
Esquilos no St James Park
St James Park
St James Park
Palácio de Buckingham
Palácio de Buckingham
Letreiro em Picadilly Circus
Letreiro em Picadilly Circus
Waxy O'Connors Pub e o tiragosto The Lot
Waxy O’Connors Pub e o tiragosto The Lot
Shakespeare's Globe
Shakespeare’s Globe
Casa de Sherlock Holmes
Casa de Sherlock Holmes
Stamford Bridge
Stamford Bridge

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *