EuroTrip 2009 – PARIS e LONDRES – Dias 4 e 5

Posts anteriores:

EuroTrip 2009 – PARIS – Dias 1, 2 e 3

[DIA 4] 09/05 – PARIS

Meu gerente Marconas acordou com suspeita de gripe suína, mas estávamos em Paris e tinhamos muita coisa ainda pra conhecer, então ele superou as dores e fomos almoçar num restaurante bacana, o Pizza Di Napoli. Fomos atendidos por um garçom bem simpático, que inclusive se esforçava pra falar com a gente em português. Legal que tinha horas que a conversa rolava em português, italiano, francês, inglês -> tudo ao mesmo tempo. Eu comi uma carne com salada, começando a me acostumar com a inexistência de feijão e às vezes arroz nas refeições. Enquanto almoçávamos, vimos um policial correr atrás de um ladrão (só que em ritmo de maratona). Era muito estranho: o guarda e o ladrão não corriam nada…

Após a refeição, rumo ao Palácio de Versalhes. Fomos de metrô (ou foi de trem? não sei diferenciar…). Eu achava que Versalhes fazia parte de Paris, mas na verdade é uma outra cidade, bem próxima de Paris, a uma distância de 10 km. Ao chegar, tivemos muita sorte de pagar meia entrada pelo horário que entramos (já bem tarde, 16:00h, ainda bem que o dia demora a escurecer). É um local espetacular. É impossível não se impressionar com a imensidão do palácio, com a beleza dos jardins, a quantidade de salas, quartos, aposentos e as pinturas por toda a sua extensão. Muitas pinturas e quadros bonitos e paisagens lindas dos jardins. Registramos tudo, lanchamos e voltamos pra Paris às 18:40h. De Versalhes, voltamos para Paris e finalmente chegamos na tão esperada Torre Eiffel. Pegamos uma fila enorme pra entrar na torre. Mais uma sorte que tivemos: mesmo sem saber, mesmo sem planejar, nós estávamos entrando na torre na melhor hora possível, às 20:00hs (que ainda é tardezinha em Paris nesta época). Com isso a noite chegaria e poderíamos ver a torre tanto de dia como de noite. E nesse dia e horário em que chegamos lá, o acesso ao setor mais alto da torre fica liberado, que dá uma vista mais fantástica ainda, e de noite então… Recomendo a todos que para que prestem atenção nesse pequeno detalhe, que com certeza fará ainda mais a diferença. Só indo lá mesmo pra ter uma ideia de como a vista é bonita.  Voltamos pra o hotel e nesse dia eu dormi muito pouco, pois tinha que acordar às 7 da manhã pra pegar o vôo pra Londres. Paris é definitivamente a cidade mais bonita que já conheci. É a primeira cidade que eu quero estar com a minha noiva na nossa lua-de-mel, se Deus quiser, na Europa. E talvez seja uma das poucas cidades do mundo que eu já conheci e que gostaria de ir várias outras vezes. Diferente da maioria das cidades que conheci, que pra mim somente uma visita foi o bastante.

Almoçamos e fomos para o Palácio de Versalhes. Na volta, passamos na Torre Eiffel:

Exibir mapa ampliado

Gastos nesse dia => €14 almoço, €5 metrô, €10 Palácio de Versalhes, €6 souvenirs de Versalhes, €7 lanche, €3 capuccino na Torre Eiffel, €13 entrada Torre Eiffel (€8 primeiro nível; €5 segundo nível), €5 McDonalds, €127 perfumes || TOTAL: €190

[DIA 5] 10/05 – PARIS – LONDRES – DUBLIN

Acordamos bem cedo para pegar o vôo rumo a Londres. Como já estávamos quase experts em metrô de Paris, chegamos bem facilmente no aeroporto. Passamos inclusive pela periferia de Paris no caminho. Ao chegar no aeroporto, sentimos pela primeira vez como faz falta uma mala de rodinhas. Carregar mochila nas costas o tempo todo cansa. O aeroporto Charles de Gaulle é imenso. Não tem como comparar com nenhum dos aeroportos brasileiros. Na hora do check-in tivemos que pagar uma taxa extra pois nossa bagagem de mão cabia no dispositivo de medição de bagagem das companhias low cost. Admite-se que quando não entra bem nele, não entra bem no bagageiro da aeronave. Ao adentrar o avião, percebemos que as poltronas não reclinavam e como tinha aeromoça vendendo “merendinhas”, chocolate quente por 10 euros e por aí vai…

Aterrizamos no aeroporto de Luton, que fica a 54km de Londres. Perdemos um certo tempo com translados na viagem por conta de ter optado algumas vezes por aeroportos mais distantes, só que com vôos mais baratos. A chegada foi bem estressante… Rolou um interrogatório pesado na Imigração. A atendente pediu as passagens, fez inúmeras perguntas, tais como para quais cidades estávamos indo, por que e quando. Tivemos que mostrar o dinheiro que possuíamos em mãos, cartão de crédito, fatura do cartão, comprovantes de passagem e hospedagem (até o e-mail que servia como carta de convite do nosso amigo Felipe para o seu apartamento em Dublin, pra comprovar que tinhamos onde nos hospedar em Dublin), seguro de sáude, etc. (A atendente devia ser alguém nos primeiros dias de trabalho querendo mostrar serviço… pois não passamos por nada parecido em outros momentos da viagem, mesmo com a ameaça de gripe suína assolando o mundo) Por isso que é bom está sempre preparado com toda a documentação pra o que der e vier. Esse foi um momento em que precisamos apresentar praticamente tudo. Esses ingleses… querem fazer tudo diferente… tem negócio de mão inglesa até quando vamos pro banheiro :D.

Depois de nos livrarmos das autoridades, Marconas, com toda sua produtividade de gerente de viagens, comprou logo nossos 3 tickets pra andar de trem no curto período que ficaríamos na Inglaterra até o horário do vôo para Dublin. Realmente não fazia sentido esperar mais de 6 horas no aeroporto sem fazer nada. Tendo em vista a minha inexperiência em viagens, ainda bem que ele me convenceu facilmente disso. Pagamos pra guardar a bagagem no aeroporto, almoçamos e fomos pegar um trem para a estação Blackfriars. Ao chegar em Londres, mais uma vez andamos muito. Mas vimos muitas localidades características: vimos de longe a Capela de Saint-Paul, passamos pelo rio Tâmisa, vimos umas festinhas populares (era domingo), passamos no Big Ben e Westminster, e terminamos o pouco tempo que nos sobrou com uma voltinha na London Eye, que dá uma visão muito bonita da cidade inteira. Eu sou um cara muito fraco pra brinquedinhos de parque, do tipo roda-gigante, aviãozinho, etc. Enjôo com muita facilidade. Mas na London Eye as cabines são tão grandes e confortáveis que você nem parece estar numa imensa roda gigante.

Essa foi a rota que pegamos de trem, do aeroporto de Luton até a estação BlackFriars em Londres:

Exibir mapa ampliado

Esse foi o breve passeio que fizemos no tempinho que estivemos em Londres:

Exibir mapa ampliado

Depois do passeio, pegamos outro trem para voltar ao aeroporto, comi no Burger King e Marconas e Melissa comeram uma lasanha num restaurante ao lado. Enquanto aguardávamos a hora do vôo jogamos um pouco no fliper. Depois pegamos as bagagens, fizemos o check-in e fomos pegar o vôo. A revista dessa vez foi bem mais tranquila. Batemos fotos com uma Ferrari irada que estava em exposição no aeroporto e fomos rumo a Dublin pela famosa operadora low-cost Ryanair. Saímos às 20:25hs de Luton e chegamos às 20:35hs em Dublin (claro que não foi 10 minutos de vôo, isso foi devido à diferença de 1 hora de fuso horário). O vôo custou apenas 15 libras, assim como todos os outros vôos, com passagens compradas com 2 a 3 meses de antecedência. Sobre o vôo na Ryanair: Voar na RyanAir não é muito diferente de andar num Paranjana lotado… você paga até pra ir pro banheiro (é sério: 2 euros), as cadeiras não dobram. É realmente uma proposta de baixo custo extreme. Mesmo assim, consegui cochilar uma meia hora, tanto pelo cansaço, como pelo fato de ter dormido somente 4 horas na noite anterior. Ao aterrizar, estávamos um pouco mais apreensivos com a chegada na imigração depois do que havia ocorrido em Londres. Mas dessa vez, a passagem foi super tranquila. O cara carimbou meu passaporte até sem olhar a minha foto. Esses irlandeses são muito gente boa mesmo… E amamos mais ainda a Irlanda, depois de conhecê-la melhor nos dias seguintes. Felipe Maria e Mariano nos esperavam na chegada do aeroporto. No caminho vimos belíssimas paisagens, um por-do-sol daqueles (às 21:30hs!). A Irlanda é fria demais!! Vimos isso nos dias que estivemos lá, e isso porque estava normal, primavera… só 14ºC. Ao chegar na casa do Felipe, coloquei um cachecol e um gorro que tinha levado. Na verdade foi o único momento em que senti a real necessidade de usá-los, só pra ficar na varanda e poder usar mesmo… Era muito massa o AP do Felipe, que ele dividia com amigos. Tomamos umas duas só pra botar os papo em dia, jantamos e dormimos até mais tarde. Continua no próximo post.

Vôo Paris[Charles de Gaulle]-London[Luton] (via EasyJet) => €31,50

Vôo London[Luton]-Dublin (via RyanAir) => £15

Gastos nesse dia => €8 transporte até o aeroporto, €86 diária no hotel, €22 taxa extra para bagagem maior que o estabelecido, £10 almoço no aeroporto de Luton, £5 taxa para guardar bagagem no aeroporto, £21 trem ida/volta, £17 London Eye, £11 souvernirs de Londres, £7 lanche+fliper  || TOTAL: €116 e £71

4 respostas para “EuroTrip 2009 – PARIS e LONDRES – Dias 4 e 5”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *