EuroTrip 2009 – PARIS – Dias 1, 2 e 3

[DIA 1] 06/05

Finalmente, tratarei nesse post sobre o início da EuroTrip 2009. Viajamos de TAP. Essa foi a nossa previsão inicial de vôo:

Fortaleza-Lisboa: Decolagem: 7/5, às 20:00hs; Pouso: 8/5, às 07:00hs => 6/5, às 21:55hs; Pouso: 7/5, às 08:50hs

Lisboa-Paris: Decolagem: 8/5, às 09:35hs; Pouso: 8/5, às 13:05hs => 7/5, às 13:15hs; Pouso: 7/5, às 16:40hs

Frankfurt-Lisboa: Decolagem: 31/5, às 06:20hs; Pouso: 31/5, às 08:30hs

Lisboa-Fortaleza: Decolagem: 31/5, às 15:00hs; Pouso: 31/5, às 18:30hs

Como podem ver, o nosso vôo teve data e horários alterados poucos dias antes da viagem e, por conta disso, solicitamos um reembolso de uma hospedagem a mais que não havíamos programado. Bastou enviar um fax com a confirmação da reserva, onde constava o valor da diária no Ibis de €67, que foi depositado na nossa conta (No meu caso, tive que pelejar mais um pouco via e-mail. Já o Marconas conseguiu de forma mais tranquila).

Após chegar na área de embarque do aeroporto, tomamos umas cervejas no Café Ritazza depois de dar uma passada no Duty Free. Batemos a característica foto inicial dessa longa viagem e ficamos aguardando o embarque. Naquele ano de 2009, houve um surto de gripe suína pelo mundo. Alguns parentes até tinham receio da gente viajar pro exterior nessas condições, mas como nós somos guerreiros encaramos a missão assim mesmo. Por conta disso, por onde passávamos víamos muitas pessoas usando máscaras nos aeroportos. Inclusive ficamos meio desconfiados de uns bolivianos próximos da gente, que estavam sendo escoltados pela polícia do aeroporto. Passamos numa banca e comprei a caderneta na qual eu escreveria o diário da viagem, que transcreverei pra esse blog. Pra passar o tempo, ficamos escutando algumas músicas e assistindo “Fifa – O melhor futebol do seculo”, que por sinal até hoje não assisti por completo.

Uma das ideias que o meu gerente de viagens Marconas teve para a próxima EuroTrip foi de juntar uma turma maior pra viagem e mandar descer um litro de Absolute e derrubar ele antes do avião decolar. Ficamos com medo de ter bafômetro no embarque… 😀 Só depois de um tempo que eu descobri que o Marconas só entra dopado nos aviões, aí fui entender porque ele sempre me convidava pra tomar umas antes da decolagem :D. O vôo atrasou 1 hora e meia devido a um curto circuito ocorrido no aeroporto de Fortaleza, por isso decolamos somente às 23:30hs

E então o avião decolou rumo à primeira conexão em Lisboa. Aquela era a minha primeira viagem internacional e também a primeira intercontinental. Apesar de eu não ter nenhum parâmetro de comparação, achei o vôo da TAP muito legal. Foi bom saber que durante a viagem teríamos direito a filmes, games (que não funcionavam, mas também não senti falta), boa comida e outros pequenos luxos, que acredito que antigamente eram comuns a todos os vôos. Assisti Gran Torino durante o vôo e depois dormi. Meu gerente Marconas ainda tentou tomar um vinho pra manter seu estado de doping e me ofereceu, mas era daqueles vinhos secos que na época eu não conseguia beber de jeito nenhum (ou talvez fosse muito ruim mesmo). No vôo conhecemos um português, que deu dicas do que fazer em Lisboa, caso tivéssemos tempo: conhecer o Centro Comercial Vasco da Gama e o estádio José Alvalade. Mas não deu, deixa pra uma próxima EuroTrip.

Por conta do atraso na decolagem chegamos às 10:40hs em Lisboa (6:40hs BR). Ao aterrizar levamos a primeira de várias carimbadas no passaporte e gastamos o primeiro euro com uma água mineral.

$$$ Gastos no dia: R$10 cerveja

$$$ Previamente pagos no cartão de crédito: R$2727,15 vôo ida e volta

[DIA 2] 07/05

Aguardamos a hora do vôo para Paris e embarcamos às 13:10hs, num vôo bem mais rápido que o anterior. Ao aterrizar no aeroporto Charles de Gaulle, às 16:40hs, ficamos meio perdidos sem saber como chegar ao hotel, mas conseguimos um taxista que fechou em 37 euros até lá, que ficava a uma distância de 4km. Pra gente que pela primeira vez tentava se comunicar fora do país em língua estrangeira, bate uma pequena insegurança inicial ao tentar o primeiro diálogo em inglês, ainda mais com um francês 🙂 O táxi era um Peugeot 406 modelo antigo (que me parece ser o “Santana” dos taxistas franceses) e a viagem durou acho que mais de 1 hora, por conta do trânsito que pegamos, mas saiu no preço, pois fizemos praticamente um pequeno city tour, passando por vários pontos turísticos. O taxista era meio doido, discutiu e quase bateu em 2 motoristas no caminho. Tentávamos falar em inglês com ele, mas ele não sabia falar muito bem e nem sempre conseguíamos estabelecer uma comunicação aceitável.

taxi-paris
No taxi, pelas ruas

Nesse dia, ficamos hospedados no Hotel ibis Paris Grands Boulevards Opera 9ème. É um hotel relativamente bem localizado e simples. Como chegamos no final da tarde, tomamos um banho, relaxamos um pouco e saímos para jantar próximo do hotel, no Le Faubourg. Tomamos só uma 1644 Kronenbourg. Eu e Melissa comemos um bife e o Marconas tomou uma sopa pois ainda estava se recuperando do vinho que tomou no avião… Passeamos pelas ruas um pouquinho, passamos na La Fayette, mas não chegamos a entrar na galeria (fica pra próxima) e também pela Faubourg Montmartre, conhecendo um pouquinho da noite parisiense. A temperatura estava fria, mas bem gostosa. Ainda dava pra andar de bermuda à noite.

$$$ Gastos nesse dia: €1 água mineral, €14 taxi, €18 janta + chopp  || TOTAL: €33

$$$ Previamente pagos no cartão de crédito: €67 diária no hotel

[DIA 3] 08/05

Tomamos o café da manhã no hotel e como não conseguimos acordar muito cedo, saímos apressadamente  para a Basílica de Sacre-Couer (Sagrado Coração), pois não era tão distante, dava pra ir até a pé. A Basílica é realmente muito bonita. Fica no topo de MontMartre e sua construção foi concluída em 1914. Além disso dá pra ter uma vista bacana da cidade de lá de cima, após encarar uma escadaria. Ficamos um tempinho na parte de fora e depois demos uma volta na parte interna, onde era celebrada uma missa. Depois compramos alguns souvenirs e voltamos às 12:00hs para fechar a conta no hotel.

Essa foi a rota do hotel Ibis até a Basílica:

Exibir mapa ampliado

Basílica de Sacre-Couer
Basílica de Sacre-Couer

Após chegar no hotel, começamos os preparativos para sair em direção ao outro hotel, o Campanille Tour Eiffel (estivemos hospedados em 2 hotéis em Paris por conta da alteração nas datas do vôo, explicadas no início do post), que ficava a uma distância de aproximadamente 7 km do Ibis. Trancamos as malas no bagageiro do hotel para almoçar um característico baguete e comemos framboesas (eu particularmente, pela primeira vez). Antes da viagem, eu confesso que temia pelo humor dos franceses, mas nessa lanchonete tive a sorte de um dos melhores atendimentos que já me prestaram em qualquer viagem. O atendente saiu correndo pela rua atrás de conseguir dinheiro para dar meu troco o mais rápido possível. Nunca vi isso nem aqui no Brasil. Talvez fosse o primeiro dia de trabalho dele e o cara queria mostrar serviço, vai saber…  Então saímos com a nossa bagagem “mochileiro style”, pegamos o metrô do Grand Boulevard pra Rue de La Pompe e pelo que me lembro andamos feito jumento carregando malas e mochilas (acho que por mais de 2km) até a estação Passy onde pegamos outro metrô para Bir-Hakeim rumo ao hotel Campanille.

Rota do hotel Ibis para o hotel Campanille:

Exibir mapa ampliado

Esse foi o dia dos vacilos, obrigatórios e necessários para o aprendizado de mochileiros de primeira viagem 🙂

1)Perdemos 2 euros na máquina de guardar bagagem na hora de trancar as mesmas no Hotel Ibis, antes de sair para Basílica de Sacre-Couer

2) a) Gastamos um ticket de metrô a mais pois pegamos o metrô do lado contrário em um certo momento; b) Na hora de entrar no Metrô, naquela indecisão de sobe e desce, acabamos nos separando, eu entrei no vagão e Marconas e Melissa ficaram, um olhando pro outro com aquela cara de cachorro abandonado. Mas ainda bem que nos encontramos logo em seguida. Se já existisse o Metrofor, a gente já teria prática e nada disso teria ocorrido 😀 Esse dia foi um dia muito importante pois pegamos o bizu do metrô. Agora sabíamos ir pra qualquer canto com um mapa na mão.

3)Eu tinha reservando um dia a mais no hotel pela internet, por engano, e acho que tive que pagar metade do valor sem usufruir do mesmo… 😛

O restante do dia foi perfeito. Andamos bastante e conhecemos vários locais, muita coisa mesmo. Pela proposta da viagem que programamos, nem sempre dispunhamos do tempo necessário para dedicar a cada local, por conta da gente ter que passar poucos dias em cada cidade. Nesse dia saímos às 16:40hs. Pegamos o metrô para o Place d’Italie e de lá outro para o Chatelet, que fica bem no meio de vários pontos turísticos, próximo ao Rio Sena, onde tivemos que passar. Logo de cara, passamos pelo Hotel de Ville, Palais de Justice, Saint Chapelle e a famosa e histórica catedral de Notre-Dame, construída nos séculos XII e XII. Não deu pra entrar nela pois tinha uma fila muito grande e ainda tinhamos muita coisa pra ver.

No caminho, paramos pra lanchar outro baguete nas proximidades, sentamos nas cadeiras de um bar, achando que fazia parte daquele estabelecimento, aí veio o dono e mandou a gente sair na maior grosseria do mundo, gritando “Get out of here“. Mandei ele pra baixa da égua retribuindo o seu carinho em bom português e continuamos a viagem sem problema algum, sem que nada quebrasse nossa harmonia, caminhando felizes da vida em direção ao Louvre. Foi a única grosseria que sofremos na França, como poderia ter ocorrido em qualquer parte do mundo. Mas é muito importante saber se abstrair desse tipo de coisa pra que nada comprometa os bons momentos que você está vivendo em uma viagem.

Ao chegar ao Louvre, ficamos impressionados com a imensidão dele, mesmo sem poder entrar pra ver as exposições por conta do horário (Mas da próxima não posso deixar de entrar). A vista do museu e as Pirâmides de Vidro são muito bonitas. Por sugestão do gerente Marconas, tomamos um (mas só um) chopp no Louvre para relaxar, naquele precinho simbólico de quem quer tirar uma onda no Louvre: 6 euros.

Depois passamos pelo Jardim das Tuileres, vimos o Palais Royal e na rua Rivoli vimos a maior concentração de carrões por metro quadrado: Corvete, Aston Martin, Lamborghini e Porsche. Ver e apreciar essas máquinas pra mim é quase a mesma coisa que visitar pontos turísticos… 🙂 Aproveitando a proximidade, nós fomos direto para o Arco do Triunfo. No caminho, passamos por Place de La Concorde, e vimos de longe Madeleine e Grand Palais.

Por fim, Champs-Elysees… Acho que é a avenida mais bonita que eu já vi. E chegando à noite então (Era 21:40hs e a noite começava a cair) aí é que fica bonito mesmo. Havia uma festa grande de vários torcedores tomando a avenida, não sei se era alguma vitória importante ou algum título do Paris Saint Germain, ou de outro time local. Passamos pela avenida, conhecemos o Arco do Triunfo e fomos para casa. Chegamos às 00:15. Depois ainda voltei pra Champs pra comprar perfume pra mim e pros meus pais.

Acredito que até hoje, Paris é a cidade que mais me impressionou. Eu sabia que conheceria uma cidade muito bonita, mas confesso que não esperava tanto assim. Um clima com um frio muito gostoso pra quem é acostumado ao calor do Nordeste.

Pense na ROTA:

Exibir mapa ampliado

Só nesse dia, andamos quase uns 10 km! Realmente muita coisa, mas é impressionante os milagres ocasionados pela adrenalina (ou endorfina, sei lá…) de conhecer uma cidade como essa e a disposição de ser o primeiro dia de viagem… Mesmo depois de andar tanto, com um tênis apertando o pé, parece que a gente não sente nada disso. Muito provavelmente foi o dia em que andamos mais.

Gastos nesse dia: €2 souvenirs Torre Eiffel, €1 cadeado pra mala, €19 refeições(€5 almoço, €6 lanche, €8 jantar McDonalds), €6 metrô, €29 valor extra na diária  || TOTAL: €57

No próximo post, o último dia em Paris e a passagem por Londres. O lado bom dessa antecipação da viagem, foi que podemos passar mais 1 dia em Paris, que mesmo assim no final achei que foi muito pouco tempo pra uma cidade tão bonita e com tantos atrativos.

6 respostas para “EuroTrip 2009 – PARIS – Dias 1, 2 e 3”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *